quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Feliz 2012

Oração Árabe

Deus, não consintas que eu seja o carrasco que sangra as ovelhas,
nem uma ovelha nas mãos dos algozes.
Ajuda-me a dizer sempre a verdade na presença dos fortes, e jamais dizer mentiras para ganhar os aplausos dos fracos.

Meu Deus ! Se me deres a fortuna, não me tires a felicidade; se me deres a força, não me tires a sensatez; se me for dado prosperar, não permita que eu perca a modéstia, conservando apenas o orgulho da dignidade.
Ajuda-me a apreciar o outro lado das coisas, para não enxergar a traição dos adversários, nem acusá-los com maior severidade do que a mim mesmo.

Não me deixes ser atingido pela ilusão da glória, quando bem sucedido e nem desesperado quando sentir insucesso.
Lembra-me que a experiência de um fracasso poderá proporcionar um progresso maior.
Ó Deus ! Faze-me sentir que o perdão é maior índice da força, e que a vingança é prova de fraqueza.

Se me tirares a fortuna, deixe-me a esperança.
Se me faltar a beleza da saúde, conforta-me com a graça da fé.
E quando me ferir a ingratidão e a incompreensão dos meus semelhantes, cria em minha alma a força da desculpa e do perdão.
E finalmente Senhor, se eu Te esquecer, te rogo mesmo assim, nunca Te esqueças de mim !

sexta-feira, 29 de julho de 2011

domingo, 26 de junho de 2011

Como foi, me conta???

A Segunda Semana de Língua Portuguesa do nosso CIEP foi um grande sucesso, contou com a parceria de convidados ilustres e comprometidos com a educação como o Psicanalista Jerffeson Reis de Santana Psicanalista que abordou o Bullying, o Orientador Educacional Prof Ricardo Machado Cardoso com sua palestra sobre a manipulação de massa através das TIC's. Profª Leila Costa Cirto representante do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher que abordou o perfil da violência de Gênero.
Todos estes convidados foram muito felizes em suas abordagens, pois a semana de língua portuguesa apresentou um pano de fundo que nós, educadores consideramos importantíssimo para a formação integral do cidadão, Direitos, deveres, reflexão sobre seu papel social, ou seja, a verdadeira CIDADANIA.
Depois desta semana os professores de Língua Portuguesa encaminharam para suas turmas uma avaliação do evento, que em tempo veicularemos aqui e no http://www.gazeta118.blogspot.com/.
Leia, escreva, comente, participe, exerça a sua cidadania.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

PALESTRAS, OFICINAS E MUITO MAIS...

Estamos trabalhando na divulgação da Semana de Língua Portuguesa do CIEP 118, não apenas na divulgação, mas orientando e colaborando com a produção de conhecimento dos alunos.
Pedimos que acompanhem este trabalho através do site http://www.gazeta118.blogspot.com , lá você ficará sabendo das produções textuais doa alunos, das pesquisas que estão sendo feitas sobre, DST, Direitos e deveres dos alunos, etc.
Participe também, na semana de língua portuguesa teremos convidados como a Professora Leila Costa Cirto que é membro do Conselho Municipal dos direitos da Mulher de Duque de Caxias que apresentará uma palestre sobre o "Direito da Mulher e sua Interface com a violência contra a mulher", Professor Ricardo Machado pedagogo com especialização em Orientação Educacional que falará sobre "A geração teem e a manipulação de massa".
Oficina de produção de texto com Gisa Félix apresentando estratégias de como passar em uma entrevista de seleção e como preparar um bom currículo. Estes são os destaques da Semana de Língua Portuguesa - a Palavra em movimento.

terça-feira, 17 de maio de 2011

sexta-feira, 25 de março de 2011

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

MOSTRA DE REALIZAÇÕES 2010

A MOSTRA DE REALIZAÇÕES 2010 SERÁ NO DIA 19.
PARTICIPE!
fALE COM SEUS PROFESSORES.

domingo, 24 de outubro de 2010

CALENDÁRIO DE MATRÍCULAS: ATENÇÃO AOS PRAZOS

25/10/10 a 28/11/10 Pré-matrícula pela internet

20/12/10 Relação nominal de todos os alunos alocados, disponibilizada no site

20/12/10 Divulgação da alocação via e-mail válido

20/12/10 Divulgação da alocação via SMS válido

05/01/11 a 14/01/11 Confirmação da reserva de vagas para o 6º ano do Ensino Fundamental e 1ª série do Ensino Médio e matrícula para as demais séries, nas escolas.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Exposição: A PALAVRA

A ideia de realizar uma exposição a respeito da “palavra” surgiu a partir de um encontro pedagógico ocorrido em nossa escola, onde assisti a uma palestra do NAPE: dois educadores maravilhosos, que se autodenominam “Operários da Palavra”, e que através de contos, fábulas, músicas, imagens, poesia e muito carisma realizam um trabalho de resgate e valorização da auto-estima do educador, tratando de aspectos do seu dia-a-dia em sala de aula e da vida em geral.
O momento inicial da apresentação foi marcado por uma dinâmica que objetivou demonstrar que tudo é possível quando se tem Fé e Criatividade (ou que pelo menos existe sempre uma possibilidade na situação de impossibilidade). Esse momento lúdico acabou por me fazer refletir sobre o poder das palavras. Palavras que podem expressar a beleza e a genialidade do ser humano, e também as suas misérias.
Através da junção da palavra e da imagem, você está convidado a fazer essa reflexão a respeito da força da palavra-plural, que nos ajuda a idealizar, construir e re-construir a nossa realidade; o nosso mundo.

Um abraço.
Renata.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

A Cidade de Duque de Caxias - Conhecendo melhor onde se vive

O povoamento da região data do século XVI, quando foram doadas sesmarias da Capitania do Rio de Janeiro. Em 1568, Brás Cubas, provedor da Fazenda Real e das capitanias de São Vicente e Santo Amaro recebeu, em doação de sesmaria, 3.000 braças de terras de testada para o mar e 9.000 braças de terras de fundo para o rio Meriti, ou mais propriamente "Miriti", cortando o piaçabal da aldeia Jacotinga. Outro dos agraciados foi Cristóvão Monteiro que recebeu terras às margens do rio Iguaçu. A atividade econômica que ensejou a ocupação do local foi a de cultivo da cana-de-açúcar. O milho, o feijão e o arroz tornaram-se, também, importantes produtos auxiliares durante esse período.

Nos séculos XVII e XVIII, a divisão administrativa de Iguaçu (na ortografia arcaica Iguassú, hoje município de Nova Iguaçu) seguia critérios eclesiásticos, ou seja, a igreja matriz assumia a responsabilidade jurídica e religiosa, administrando as capelas secundárias: as freguesias. Sendo assim, Pilar, Meriti, Estrela e Jacutinga, áreas que atualmente ocupam parte do território de Duque de Caxias, pertenciam à Iguaçu. A região tornou-se importante ponto de passagem das riquezas vindas do interior: o ouro das Minas Gerais, descoberto no momento de crise da lavoura açucareira, e o café do Vale do Paraíba Fluminense, que representou cerca de 70% de toda a economia brasileira nessa época.

Sendo os caminhos em terra firme poucos, precários e perigosos, nada mais natural que o transporte fosse feito através dos rios, onde estes existissem. Os rios não faltavam na região e, integrados com a baía de Guanabara, faziam do local um ponto de união entre esta e os caminhos que subiam a serra em direção ao interior. O Porto da Estrela foi o marco mais importante deste período. À sua volta, cresceu um arraial que no século XIX foi transformado em município.

Apesar da decadência da mineração, a região manteve-se ainda como ponto de descanso e abastecimento de tropeiros, como local de transbordo e trânsito de mercadorias. Até o século XIX, o progresso local foi notável. Entretanto, a impiedosa devastação das matas trouxe, como resultado, a obstrução dos rios e conseqüente transbordamento, o que favoreceu a formação de pântanos. Das águas paradas e poluídas surgiram mosquitos transmissores de terríveis febres.

Muitos fugiram do local que, praticamente, ficou inabitável. As terras antes salubres e férteis, cobriram-se de vegetação própria dos mangues. Em 1850, a situação era de verdadeira calamidade, pois as epidemias surgiram, obrigando senhores de engenho a fugir para locais mais seguros. As propriedades foram sendo abandonadas. A situação era de grande penúria e assim permaneceria ainda por algumas décadas.

Com a implantação do transporte ferroviário, a situação piorou consideravelmente. A estrada de Ferro D. Pedro II ligou a capital do Império ao atual município de Queimados. A produção do Vale do Paraíba passou a ser escoada por esta via, os rios e o transporte terrestre deixaram progressivamente de serem usados e os portos fluviais perderam importância. A região iguassuana entra em franca decadência.

Com a abolição dos escravos em 1888, aconteceram vários transformações na vida econômica e social da Baixada Fluminense. As obras de saneamento foram abandonadas, houve um atraso nas condições propícias à saúde e várias enfermidades surgiram. Entre elas, a malária e a doença de Chagas.

No governo de Nilo Peçanha, Meriti teve uma tímida melhoria na área do saneamento básico, contando, inclusive, com a chegada da água, em 1916, na atual Praça do Pacificador. Mas somente no governo de Getúlio Vargas, que criou a Comissão de Saneamento da Baixada Fluminense, a região avançou. Até 1945, mais de seis mil quilômetros de rios foram limpos, retirando dos seus leitos 45 milhões de metros cúbicos de terra. Com este trabalho, os rios deixaram de ser criadouros de mosquito, diminuindo em muito o número de doenças na região.

Quando a ferrovia atingiu o vale de Meriti, a região começou a sofrer os efeitos da expansão urbana da Cidade do Rio de Janeiro. Com a inauguração da The Rio de Janeiro Northern Railway, em 23 de abril de 1886, a região ficou definitivamente ligada ao antigo Distrito Federal e com a inauguração de novas estações, em 1911, pela Estrada de Ferro Leopoldina multiplicaram-se as viagens, bem como o número de passageiros em Gramacho, São Bento, Actura (Campos Elísios), Primavera e Saracuruna.

Entretanto, apesar dessa recuperação que a ferrovia trouxera, a Baixada continuava sofrendo com a falta de saneamento, fator de estancamento de seu progresso.

No início do século XX, as terras da Baixada serviam para aliviar as pressões demográficas da cidade do Rio de Janeiro, os dados estatísticos revelam que em 1910, a população era de oitocentas pessoas em Meriti, passando em 1920, para 2920. O rápido crescimento populacional provocou o fracionamento e loteamento das antigas propriedades rurais, naquele momento, improdutivas.

Apenas em 1924 instalou-se a primeira rede elétrica no município. Com a abertura da Rodovia Rio-Petrópolis (hoje rodovia Washington Luís) em 1928, Meriti voltou a prosperar. Inúmeras empresas compraram terrenos e se instalaram na região devido à proximidade com o Rio de Janeiro.

O processo de emancipação da cidade esteve relacionado à formação de um grupo que organizou a "União Popular Caxiense" (UPC): jornalistas, médicos e políticos locais. Em 1940, foi criada a comissão pró-emancipação: Sylvio Goulart, Rufino Gomes, Amadeu Lanzeloti, Joaquim Linhares, José Basílio, Carlos Fraga e Antônio Moreira. A reação do governo foi imediata e os manifestantes foram presos.

Na década de 1940, o governo federal promoveu a limpeza de mais de seis mil quilômetros de rios e construiu mais de 200 pontes na Baixada Fluminense.

O grande crescimento pelo qual passava Meriti levou o deputado federal Manuel Reis a propor a criação do distrito de Caxias. Em 14 de março de 1931, através do ato do interventor Plínio de Castro Casado, foi criado, pelo Decreto Estadual Nº 2.559, o distrito de Caxias, com sede na antiga Estação de Meriti, pertencente ao então município de Nova Iguaçu. Em 31 de dezembro de 1943, através do Decreto-Lei 1.055, elevou-se à categoria de município recebendo o nome de Duque de Caxias. Já a comarca de Duque de Caxias foi criada pelo Decreto-Lei nº 1.056, no mesmo dia, mês e ano.

Com a emancipação, o município recebeu grande incentivo em sua economia. Várias pessoas, oriundas principalmente da Região Nordeste do Brasil, chegavam ao Rio de Janeiro em busca de trabalho e estabeleciam residência em Duque de Caxias.

O Poder Executivo foi instalado oficialmente em 1º de janeiro de 1944, quando o interventor federal Ernani do Amaral Peixoto designou para responder pelo expediente da prefeitura o contabilista Homero Lara. Outras nove pessoas foram designadas posteriormente para o mesmo cargo.

O primeiro prefeito eleito foi Gastão Glicério de Gouveia Reis, que administrou a cidade de setembro de 1947 a dezembro de 1950. Depois dele vieram também, pelo voto direto, respectivamente, Braulino de Matos Reis, Francisco Correa, Adolpho David, Joaquim Tenório Cavalcante e Moacir Rodrigues do Carmo.

As eleições foram interrompidas com a decretação de Duque de Caxias como Área de Segurança Nacional pelo regime militar em 1971, tendo tomado posse o presidente da Câmara Francisco Estácio da Silva. A partir daí, por vezes contra a vontade das lideranças políticas e populares da região, foram eleitos prefeitos pela chamada ditadura militar o general Carlos Marciano de Medeiros, os coronéis Renato Moreira da Fonseca, Américo Gomes de Barros Filho e o ex-deputado Hydekel de Freitas Lima.

O município conquistou, depois de muita movimentação de lideranças políticas, empresariais, sindicais e comunitárias, a sua autonomia em 1985, tendo sido eleitos daquele ano em diante Juberlan de Oliveira, Hydekel de Freitas Lima (em 1990 deixou o cargo para assumir uma cadeira no Senado Federal), José Carlos Lacerda (vice-prefeito de Hydekel, tomou posse após sua renúncia), Moacyr Rodrigues do Carmo, José Camilo Zito dos Santos Filho e Washington Reis de Oliveira, sendo que o penúltimo retornou à prefeitura em 2009.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA RIO DE JANEIRO


CAMPUS DUQUE DE CAXIAS


Endereço

Avenida República do Paraguai, 120, Sarapuí − Duque de Caxias
CEP: 25050-100
Tel.: (21) 3774-6616

http://www.ifrj.edu.br/uduc.php

CEFET DUQUE DE CAXIAS

quarta-feira, 4 de agosto de 2010



MOMENTOS COM VINÍCIUS DE MORAES
por
Professora Luciana Lima

Tem como objetivo apresentar o escritor, compositor e poeta aos alunos de EJA. Visando homenagear este grande autor após trinta anos de seu falecimento. Nosso objetivo é tratar da vida dele e não do tempo de sua ausência, pois a verdade é que Vinícius de Moraes renasce cada vez que um poema seu é lido ou uma música sua é entoada.
O poetinha viverá para sempre através de seus versos, na alma e no coração de cada leitor.
O primeiro momento com sua obra aconteceu na biblioteca da própria escola que oferece um acervo riquíssimo e muito bem organizado pela professora Flávia Nogueira.
O segundo momento com a vida, contada através de várias cenas por seus mais íntimos amigos, filhas e genro. O qual produziu este maravilhoso DVD sobre nosso homenageado.
O terceiro momento foi em nossa sala de aula, na qual apresentei um material contendo um resumo de sua biografia e apresentei ainda sua trilogia mais clássica através de seus sonetos mais conhecidos.
O quarto momento se deu através da página virtual de nossa escola, idealizada e organizada pela professora Lavínia Dolores que sempre colabora em nossos projetos.
O quinto momento aconteceu na biblioteca, numa apresentação mais intimista, com a participação apenas dos alunos das duas turmas envolvidas. Contamos com a apresentação de dois vídeos montados pela professora Jaqueline com fotos tiradas no decorrer do projeto ilustrando alguns sonetos e a apresentação também de dois vídeos de apresentação musical de nosso homenageado.
 O sexto momento acontecerá na semana de Língua Portuguesa, onde alunos farão a leitura de poesias de Vinícius de Moraes e cantarão músicas por ele compostas. Contaremos neste último momento com a participação do professor de Artes Flávio e do professor Marco Antônio de Língua Portuguesa, colaborador de longa data de nossos projetos, tocando e cantando. Este projeto representa uma humilde homenagem a esta pessoa que simplesmente viveu para amar – Vinícius de Moraes.
Este projeto foi realizado com as turmas 701 e 702 de 7º ano de EJA – 1º semestre 2010.





sexta-feira, 7 de maio de 2010

PRODUÇÃO DE TEXTO EM AULA

------ Papel da mulher hoje em dia ------


Por

 ----- Fernado Melo dos Santos -----



Hoje em dia o papel da mulher se tornou muito mais importante, muitas delas trabalham, são independentes financeiramente são doutoras , advogadas, juízas etc... Além de tudo o seu espaço na sociedade evoluiu, e continuar evoluindo.


Muitas são mães e pais ao mesmo tempo, todas conseguiram sua liberdade, com a lei Maria da Penha, estão mais seguras das violências domésticas.

No mundo inteiro mulheres aasumem cargos importantes , como presidente (Argentina) Chefe de Estado ( Estado Unidos da América ) e Ministérios (Brasil), até então as mulheres conseguiram tantas conquistas e vão conseguir outras mais.


CIEP 118 VER VILSOM CAMPOS DE MACEDO
MARÇO DE 2010

quinta-feira, 6 de maio de 2010

PRODUÇÃO DE TEXTO EM AULA

Ciep : 118 /vereador Vilson Campos de Macedo Turma 903.
O Papel da mulher hoje em dia
Eu, vejo o papel da mulher hoje em dia, como uma batalha sem fim . Por exemplo, todas mulheres brasileiras tentam dar o melhor no dia-a-dia, entretanto o reconhecimento é muito lento. Algumas mulheres querem ter sua vida maravilhosa, como desde criança alimentam o sonho de estudar e ser alguém na vida, mas quando chega a vida adulta muitas não conseguem conquistar seus sonhos. Domésticas trabalham e trabalham e não conseguem conquistar todos os seus sonhos, muitas mulheres têm filhos, moram de aluguel, ganham pouco e não conseguem atingir seus objetivos, passam necessidades, sofrem e são muito desvalorizadas. Não encontram uma vida digna que todas as pessoas têm direito, sejam elas mulheres, ou homens. Não têm seu valor reconhecido por falta de oportunidade. Eu vejo que muitas coisas têm de ser feitas, ainda, e se Deus quiser muita coisa pode ser feita para melhorar o Brasil em relação as mulheres com respeito e dignidade . Espero ter sido útil. Abraços fé em Deus e muita felicidade, porque todos merecemos, pois todos somos vencedores.
Eduardo Xavier da Costa, março de 2010.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

ORAÇÕES COORDENADAS

"LER É MAIS IMPORTANTE QUE ESTUDAR."

Ziraldo

Clique nas palavras
Orações Coordenadas acima
e você terá informações detalhadas sobre o assunto.

Boa Leitura!

quinta-feira, 18 de março de 2010

quarta-feira, 17 de março de 2010

DIVERSIDADE TEXTUAL

          Estamos iniciando este projeto apresentando nossa abordagem do trabalho com a linguagem.Necessito esclarecer alguns pontos que considero importantes para entender nossa abordagem.
          Trabalhei durante alguns anos com o texto literário, apenas, e me deparei com muitas dificuldades com relação a compreensão dos mesmos.
Por algum tipo de furor literário, ou vontade de que as outras pessoas percebessem a beleza que eu via, não entendia o motivo pelo qual meus alunos estavam tão apáticos e distantes.
          Resolvi, há algum tempo, trabalhar com diversos tipos de texto, tomando como base a dissertação e a narração como bases conceituais.
Não nego a importancia dos textos literários no trabalho em sala de aula para o aprimoramento e aquisição das regras gramaticais, mas as dificuldades eram grandes, e o abismo cultural imenso entre as inversões sintáticas de Drummond e Vinicius e a vivência linguistica de minhas turmas.
          Partindo dos pressupostos e orientações da SEE RJ elaborei um programa de ensino de Língua Portuguesa onde o texto é o início, meio e o fim do trabalho.
          Os amigos professores que desejarem propor textos ou intervenções estejam a vontade para dialogar conosco.

sexta-feira, 5 de março de 2010

ATENÇÃO!


Em breve retornaremos às atividades no laboratório de informática. 

O Projeto 
118 Identidade Digital 
continua.

Início...

adaptação é gradual, mas não precisa ser lenta, todos temos o nosso ritmo e devemos respeitar o do outro.
Estamos trabalhando/estudando com o sistema supletivo, e precisamos aproveitar cada momento de aprendizagem que nos é oportinizado.
Contamos com o apoio dos alunos e comunidade escolar.
Nos vemos na escola.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

RETORNO

Conforme o calendário da 
Secretaria Estadual de Educação as aulas estão previstas para inicio em 8 de fevereiro.
Mas, antes das aulas, na primeira semana de fevereiro, nós professores, estaremos planejando o retorno.
Então, nos veremos em breve.
Até lá!
Profa Lavinia Costa.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

SEMANA DE PROVAS FINAIS

O LUTADOR
[Maio/2004]

(Carlos Drummond de Andrade)

  Lutar com palavras
é a luta mais vã.
Entanto lutamos
mal rompe a manhã.
São muitas, eu pouco.
Algumas, tão fortes
como o javali.
Não me julgo louco.
Se o fosse, teria
poder de encantá-las.
Mas lúcido e frio,
apareço e tento
apanhar algumas
para meu sustento
num dia de vida.
Deixam-se enlaçar,
tontas à carícia
e súbito fogem
e não há ameaça
e nem há sevícia
que as traga de novo
ao centro da praça.
Insisto, solerte.
Busco persuadí-las.
Ser-lhes-ei escravo
de rara humildade.
Guardarei sigilo
de nosso comércio.
Na voz, nenhum travo
de zanga ou desgosto.
Sem me ouvir deslizam,
perpassam levíssimas
e viram-me o rosto.
Lutar com palavras
parece sem fruto.
Não têm carne e sangue...
Entretanto, luto.
Palavra, palavra
(digo exasperado),
se me desafias,
aceito o combate.
Quisera possuir-te
neste escampado,
sem roteiro de unha
ou marca de dente
nessa pele clara.
Preferes o amor
de uma posse impura
e que venha o gozo
da maior tontura.
Luto corpo a corpo,
luto todo o tempo,
sem maior proveito
que o da caça ao vento.
Não encontro vestes,
não seguro formas,
é fluido inimigo
que me dobra os músculos
e ri-se das normas
da boa peleja.
Iludo-me às vezes,
pressinto que a entrega
se consumirá.
Já vejo palavras
em coro submisso,
esta me ofertando
seu velho calor,
outra sua glória
feita de mistério,
outra seu desdém,
outra seu ciúme,
e um sapiente amor
me ensina a fruir
de cada palavra
a essência captada,
o sutil queixume.
Mas ai! É o instante
de entreabrir os olhos:
entre beijo e boca,
tudo se evapora.

O ciclo do dia
ora se consuma
e o inútil duelo
jamais se resolve.
O teu rosto belo,
ó palavra, esplende
na curva da noite
que toda me envolve.
Tamanha paixão
e nenhum pecúlio.
Cerradas as portas,
a luta prossegue
nas ruas do sono.

...

(Fonte: ANDRADE, Carlos Drummond de. Antologia poética. 17.ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1983. p.172-175. )

sábado, 21 de novembro de 2009

"Lutemos por um mundo novo, um mundo bom que a todos assegure o ensejo de trabalho, que dê futuro à juventude e segurança à velhice."

(José G. Jr .Trad. O Pensamento vivo de Chaplin. SP. Martin Claret, 1986.)

terça-feira, 17 de novembro de 2009



Deixe seu comentário sobre a

VII Mostra de Realizações

do CIEP 118

segunda-feira, 16 de novembro de 2009












Escreva seu comentário.

Escreva seu comentário.

PERFIL  DOS ALUNOS  DO CIEP 118  DO ENSINO  DE JOVENS  E ADULTOS 
EJA 2009  ( 2º SEMESTRE)
PESQUISA ELABORADA E COORDENADA: 
PROFESSOR COSME LUIZ
 PESQUISA REALIZADA:
PELOS ALUNOS DAS TURMAS 901, 902 e 903

DATA DA REALIZAÇÃO:
31 de OUTUBRO, 03 e 04 de NOVEMBRO de 2009

AMOSTRAGEM:  265 ALUNOS ENTREVISTADOS

Observe cada gráfico e escreva um depoimento.

sábado, 24 de outubro de 2009




PROJETO CIA. DO CORDEL
Professora Luciana Lima

Diante da dificuldade dos alunos em leitura e desinteresse, quase que total por ela, nasceu a necessidade de encontrar um instrumento ou ferramenta que tornasse esse distanciamento menor. Por estar sempre envolvida com eventos culturais e manter um relacionamento muito estreito com as manifestações populares, foi que surgiu a oportunidade de unir o útil com o que é agradável.

Como simpatizante das literaturas, o Cordel não poderia ser deixado de lado. Então apresentei aos alunos de 7ºano à Literatura de Cordel, e mal pude acreditar no que via. Alunos lendo voluntariamente e recontando para os colegas as melhores partes de cada leitura. A maior recompensa deste trabalho foi ouvi-los dizendo que entraram na Internet para procurar outras histórias, procurarem sobre o autor do cordel lido em sala de aula. E já se passaram quatro anos, e ainda hoje vibro com as diversas reações dos alunos, quase sempre positivas.

Neste período de trabalho, com esta Literatura, realizamos apresentações na biblioteca da escola para algumas turmas, e no segundo ano fomos convidados pelos organizadores da Mostra Estudantil de Nova Iguaçu para fazermos a abertura do evento, que aconteceu no SESC do município em 2007. Este grupo de alunos, pioneiros neste trabalho, não fazem mais parte de nossa unidade escolar, mas continuam somando nesta empreitada de incentivo a leitura, ajudando a semear nos outros alunos a semente do amor pela leitura.

Continuar com o projeto tornou-se cada vez mais precário sem um acervo e local destinado a esta literatura, daí então surgiu a necessidade e vontade de se criar tal espaço em nossa escola. Então procurei aprofundar meus conhecimentos e minha paixão aumentou.

Procurei conhecer os mestres da Literatura de Cordel em minhas pesquisas bibliográficas, e descobri que esta é de origem européia e medieval. Grandes escritores como Gregório de Matos, Gil Vicente, Camões, Guimarães Rosa, Jorge Amado e até Vinícius de Moraes se renderam e produziram cordéis. E no centro de referência de cultura popular nordestina em São Cristóvão conheci Mestre Azulão, um dos ícones em produção de Literatura de Cordel.



Também conheci Miguel Bezerra que por vários motivos para mim será sempre único. Repentista e poeta, domina e apresenta todas as modalidades de produção de repente e faz diferença entre este e o Cordel.

E ainda descobri que os cordelistas possuem uma academia ABLC (Academia Brasileira de Literatura de Cordel) situada em Santa Teresa, popularmente conhecida como Casa do Cordel. É ordenada e organizada por seu presidente Gonçalo Ferreira. A Literatura de Cordel também possui seus imortais. Que máximo!!!

Não se pode tratar de cordel sem destacar a arte da xilogravura. Esta é outra maravilha que este tipo de literatura nos aproxima, as capas reproduzidas com esta técnica de desenhos talhados em madeira, pedra ou metal. Tive o prazer de conhecer o xilogravurista Erivaldo Ferreira da Silva, que domina a arte desde os 14 anos e mais tarde no MAM (Museu de Arte Moderna), como bolsista, adotou e aperfeiçoou a xilogravura colorida. Vive desta arte e seu trabalho estará em todas as bibliotecas do Brasil presente nas ilustrações do livro Cordel em Arte e Versos de Moreira de Acopiara, aprovado e distribuído pelo MEC.




Após todo este percurso, e em cada momento recolhendo um pouco de material e conhecimento, neste ano 2009, conseguimos montar um modesto, porém muito importante acervo para pesquisa e entretenimento para nossa biblioteca chamado Cordelteca; onde os alunos e visitantes poderão também desfrutar desta arte. Além dos folhetos, temos placas de xilogravura e livros que fundamentam a história desta Literatura, como antologias, dicionário de cordel e muito mais.

É claro que depois de todas estas informações e incentivos para a leitura deste tipo de texto, não poderia deixar de postar um folheto para apreciação de todos que se interessaram. Este fragmento de Cordel foi retirado do folheto de Isael de Carvalho chamado O clone do capeta ou A história d’um cabra muito feio. Aproveite a leitura e comente!!!


“Há mistério nesse mundo

que me deixa intrigado

e às vezes leva-me a crer

que ta tudo errado.

Enquanto um tem beleza

que “dizem” que não põe mesa

outro é  desengonçado.

O que eu vou contar agora

Você  pode acreditar:

Se você  já viu feiúra

Daquelas de assustar,

Mas nunca viu Zé Tibira,

Irmão de Dona Jacira,

Um conselho eu vou te dar.

Tenha bastante cuidado

Com o susto imediato,

Zé Tibira é mais feio

Do que um porco-do-mato

Mas apesar da aparência

Tibira tem inocência

De criança de orfanato.

Zé Tibira é tão feio

Que assusta assombração,

Faz lobisomem desmaiar

E saci cair no chão.

Até mula-sem-cabeça

Por incrível que pareça

Já fugiu deste feião!!!!

O caso de Zé  Tibira

Chega a ser sobrenatural;

O sujeito é  mais feio

Do que morcego e bacural.

Deve ser d’outro planeta

Ou é  o clone do capeta

Que fizeram no hospital.(...)”

Escolha a parte deste cordel que você mais gostou e escreva aqui. A parte que tiver mais comentários será postada neste espaço da próxima vez.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

 
EPITÁFIO

Titãs

Composição: Sérgio Britto
 
Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer...

Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe alegria
E a dor que traz no coração...

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor...

Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier...

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...(2x)

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr...

terça-feira, 22 de setembro de 2009

UM APÓLOGO
Machado de Assis

Era uma vez uma agulha, que disse a um novelo de linha:
— Por que está você com esse ar, toda cheia de si, toda enrolada, para fingir que vale alguma cousa neste mundo?
— Deixe-me, senhora.
— Que a deixe? Que a deixe, por quê? Porque lhe digo que está com um ar insuportável? Repito que sim, e falarei sempre que me der na cabeça.
— Que cabeça, senhora? A senhora não é alfinete, é agulha. Agulha não tem cabeça. Que lhe importa o meu ar? Cada qual tem o ar que Deus lhe deu. Importe-se com a sua vida e deixe a dos outros.
— Mas você é orgulhosa.
— Decerto que sou.

— Mas por quê?
— É boa! Porque coso. Então os vestidos e enfeites de nossa ama, quem é que os cose, senão eu?
— Você? Esta agora é melhor. Você é que os cose? Você ignora que quem os cose sou eu e muito eu?
— Você fura o pano, nada mais; eu é que coso, prendo um pedaço ao outro, dou feição aos babados...
— Sim, mas que vale isso? Eu é que furo o pano, vou adiante, puxando por você, que vem atrás obedecendo ao que eu faço e mando...
— Também os batedores vão adiante do imperador.
— Você é imperador?
— Não digo isso. Mas a verdade é que você faz um papel subalterno, indo adiante; vai só mostrando o caminho, vai fazendo o trabalho
obscuro e ínfimo. Eu é que prendo, ligo, ajunto...

Estavam nisto, quando a costureira chegou à casa da baronesa. Não sei se disse que isto se passava em casa de uma baronesa, que tinha a modista ao pé de si, para não andar atrás dela. Chegou a costureira, pegou do pano, pegou da agulha, pegou da linha, enfiou a linha na agulha, e entrou a coser. Uma e outra iam andando orgulhosas, pelo pano adiante, que era a melhor das sedas, entre os dedos da costureira, ágeis como os galgos de Diana — para dar a isto uma cor poética. E dizia a agulha:

— Então, senhora linha, ainda teima no que dizia há pouco? Não repara que esta distinta costureira só se importa comigo; eu é que vou aqui entre os dedos dela, unidinha a eles, furando abaixo e acima...

A linha não respondia; ia andando. Buraco aberto pela agulha era logo enchido por ela, silenciosa e ativa, como quem sabe o que faz, e não está para ouvir palavras loucas. A agulha, vendo que ela não lhe dava resposta, calou-se também, e foi andando. E era tudo silêncio na saleta de costura; não se ouvia mais que o plic-plicplic- plic da agulha no pano. Caindo o sol, a costureira dobrou a costura, para o dia seguinte. Continuou ainda nesse e no outro, até que no quarto acabou a obra, e ficou esperando o baile.

Veio a noite do baile, e a baronesa vestiu- se. A costureira, que a ajudou a vestirse, levava a agulha espetada no corpinho, para dar algum ponto necessário. E enquanto compunha o vestido da bela dama, e puxava de um lado ou outro, arregaçava daqui ou dali, alisando, abotoando, acolchetando, a linha para mofar da agulha, perguntou-lhe:

— Ora, agora, diga-me, quem é que vai ao baile, no corpo da baronesa, fazendo parte do vestido e da elegância? Quem é que vai dançar com ministros e diplomatas, enquanto você volta para a caixinha da costureira, antes de ir para o balaio das mucamas? Vamos, diga lá

Parece que a agulha não disse nada; mas um alfinete, de cabeça grande e não menor experiência murmurou à pobre agulha:

— Anda, aprende, tola. Cansas-te em abrir caminho para ela e ela é que vai gozar da vida, enquanto aí ficas na caixinha de costura. Faze como eu, que não abro caminho para ninguém. Onde me espetam, fico.

Contei esta história a um professor de melancolia, que me disse, abanando a cabeça:

— Também eu tenho servido de agulha a muita linha ordinária!

 




(In:http://www.eja.org.br/cadernosdeeja/empregoetrabalho/et_txt11.php?acao3_cod0=7fc8158873f3e2e6e4fcfbdccdc9d99e
Extraído do livro Várias histórias 1896, Volume 9, Contos – Editora Ática, São Paulo, 1984)



A falta de energia elétrica sofrida desde 
os bairros de Vila Rosário até Lote XV 
prejudicou as nossas atividades de 21 de setembro - segunda feira.

sábado, 19 de setembro de 2009

VOCE JÁ RESPONDEU A NOSSA ENQUETE?

OLHE LÁ NO INÍCIO E CLIQUE NA RESPOSTA QUE MAIS SE AJUSTA A SUA REALIDADE.
GRATOS!

Em 19 de setembro houve mais um momento de reposição de aulas devido aos riscos do H1N1.
O Sr Geraldo aproveitou para aprender a escrever seu nome na tela do computador do laboratório de informática, outros abriram um e-mail e manusearam um mouse pela primeira vez.
CIEP 118 - Construindo sua Identidade Digital.




Encerrou-se as 23 horas da sexta-feira 18 de setembro a plenária da I CONFEINTER - Conferencia Intermunicipal de Educação que contou com representantes dos municípios de Duque de Caxias, São João de Meriti, Belford Roxo, Magé e Guapimirim.
Parabens à Comissão Organizadora e todos os Delegados!

terça-feira, 15 de setembro de 2009

http://www.educacao.rj.gov.br/index5.aspx?tipo=secao&idsecao=222


ENCCEJA 2009- ENSINO FUNDAMENTAL

O período de inscrições ao Exame Nacional de Certificação de Competência de Jovens e Adultos será de 8 a 30 de setembro, exclusivamente pela Internet. Os interessados poderão se inscrever pelo site http://www.encceja.inep.gov.br/inscricao, a partir das 8h do dia 8 até às 23h59 do dia 30 de setembro( horário de Brasília)

A participação no ENCCEJA é gratuita e voluntária.

A idade mínima exigida é de 15 anos, completos até o dia da prova, que esse ano será no dia 29 de novembro.

As provas contemplam as áreas básicas do conhecimento, sendo elas:

    * Prova I - Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna (Inglês), Artes, Educação Física e Redação;
    * Prova II – Matemática;
    * Prova III – História e Geografia;
    * Prova IV – Ciências Naturais.

Serão 30 itens de múltipla escolha para cada uma das áreas, além de uma proposta de temas para a redação.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Participar é dever de todos.

I CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE DUQUE DE CAXIAS – 2009
 ABERTURA DA CONFEDUC

Data: 10/09/2009
Horários: 17 às 21 horas
Local: Quadra da UNIGRANRIO
DISCUSSÃO DOS EIXOS TEMÁTICOS
Data: 11/09/2009
Local: Sala do bloco J da UNIGRANRIO
PLENÁRIA
Data: 12/09/2009
Local: Quadra da UNIGRANRIO



quarta-feira, 9 de setembro de 2009


O CAMELÔ
Tatiane Batista Macedo
Acorda, João,
Já passa das cinco.
O relógio não pára, a vida não pára.
É hora de ir para a vinte e cinco,
Vender as mercadorias
Que, com os únicos centavos e tantos esforços, acabou de comprar.
No corre-corre, no grita-grita:
— Três por um real!
João nem se dá conta
Que, às suas costas,
O policial durante a ronda
Leva as mercadorias.
João, e agora?
E agora, João?
Como comprará o leite da Gabriela,
O pão do Pedro,
A saia da Maria?
E agora, João?
Como pagará o aluguel ao seu Manuel?
João, e agora?
Os policiais ainda amarram os sacos.
João volta.
Não pode.
João pega.
Não dá!
João é impedido.
Não pode! Não pega! Não dá!
Corre, corre agora?
E o leite e o aluguel e a saia e o pão?
Não posso, não dá.
No corre-corre, no grita-grita,
O único som: uma lágrima caindo...

Publicado em www.dedic.com.br


http://www.eja.org.br/cadernosdeeja/empregoetrabalho/et_txt23.php?acao3_cod0=1a67a7b8ac45962bb6cf269bf142884c

terça-feira, 8 de setembro de 2009


Neste dia(04/09/09) a atividade era enviar um comentário sobre as dificuldades que cada um encontra com o uso do computador e da internet. Os depoimentos  foram os mais variados e, por isto, resolvemos colocar a enquete abaixo, por favor respondam dentro da medida do possível.
Gratos, Amigos

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Texto de Millôr Fernandes o qual indiquei em sala de aula - Boa leitura


A baposa e o rode
Por um asino do destar, uma rapiu caosa, certo dia, num pundo profoço, do quir não consegual saiu. Um rode, passi por alando, algois tum depempo e vosa a rapendo foi mordade pela curiosidido. "Comosa rapadre" -- perguntou -- "que ê que vocé esti faza aendo?".
"Voção entê são nabe?" respondosa a mapreira rateu. "Vem aí a mais terrêca sível de tôda a histeste do nordória. Salti aquei no foço dêste pundo e guardarar a ei que brotágua sim pra mó. Mas, se vocér quisê, como e mau compedre, per me fazia companhode". Sem pensezes duas var, o bem saltode tambou no pundo do foço. A rapaente imediatamosa trepostas nas coulhes, apoifre num dos xides do bou-se e salfoço tora do fou, gritando: "Adrade, compeus".
MORAL: Jamie confais em quá estade em dificuldém.
FOPOS DE ESÁBULA (Uma tentativa B.N. (Bossa Nova) de escrever as fábulas de Esopo na linguagem do tempo em que os animais falavam).
Millôr Fernandes
Extraído de "Fábulas Fabulosas", José Álvaro Editor - Rio de Janeiro,1964, págs. 133.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Primeira fase do projeto - criar endereço eletronico para os alunos.

 
Esta foi a primeira etapa do projeto 118 identidade digital, a confecção do endereço eletrônico pra acessar este blog.
Grata pela ajuda e paciência de todos os alunos das turmas 901, 902 e 903.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

VERBOS NO INFINITIVO

TENHO FALADO BASTANTE SOBRE OS VERBOS NO INFINITIVO E SEU USO NA ESTRUTURA SINTÁTICA.
GOSTARÍA QUE O PESSOAL DAS TURMAS 901, 902 E 903 DESSE UMA BOA OLHADA NO LINK ABAIXO.
SDS
www.gramaticaonline.com.br/gramaticaonline.asp?menu=1&cod=111

sábado, 29 de agosto de 2009

Boas vindas!

Olá pessoal!

Nosso Blog está começando, então não se espante se der algo errado. Antes de aprender a andar de bicicleta sempre há uma queda ou algo semelhante.
Nossa escola não é tão novinha assim no meio digital, já existe um blog que é gerenciado pela equipe administrativo-pedagógica do 118 que é em http://ciep118rj.blogspot.com/
Há imagens do projeto Violão e voz da Professora Sandra Barragan no You tube - http://br.youtube.com/watch?v=1Iwu7oZWyjo

Temos um grupo virtual também no qual você pode participar 

Este Blog servirá para todos, alunos, professores e visitantes. 
Poderemos trocar informações e publicar textos originais, receitas, anuncios, etc.

As regras ainda estão em construção, mas acreditamos no bom senso e na capacidade de cada um perceber seu direito e respeitar o direito dos outros.

Seja bem vindo!

sua dificuldade na internet é...

Um dos projetos da Mostra 2010

Um dos projetos da Mostra 2010
Projeto de Língua Porutguesa Professora Luciana Lima